Brazilian Journal of Otorhinolaryngology Brazilian Journal of Otorhinolaryngology
Braz J Otorhinolaryngol 2018;84:89-94 DOI: 10.1016/j.bjorlp.2017.05.054
Artigo original
Volumetric evaluation of pharyngeal segments in obstructive sleep apnea patients
Avaliação volumétrica de segmentos faríngeos em pacientes com apneia obstrutiva do sono
Marcos Marques Rodriguesa,, , Valfrido Antonio Pereira Filhob, Mário Francisco Real Gabriellib, Talles Fernando Medeiros de Oliveirac, Júlio Américo Pereira Batatinhad, Luis Augusto Passerie
a Universidade de Araraquara, Faculdade de Medicina da Araraquara, Divisão de Otorrinolaringologia, Araraquara, SP, Brasil
b Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), Faculdade de Odontologia de Araraquara, Departamento de Diagnóstico e Cirurgia, Programa de Cirurgia Oral e Maxilofacial, Araraquara, SP, Brasil
c Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), Faculdade de Odontologia de Araraquara, Departamento de Ortodontia, Araraquara, SP, Brasil
d Universidade de São Paulo (USP), Faculdade de Medicina, São Paulo, SP, Brasil
e Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Faculdade de Medicina e Ciências, Departamento de Cirurgia, Cirurgia Oral e Maxilofacial, Campinas, SP, Brasil
Recebido 23 Outubro 2015, Aceitaram 10 Dezembro 2016
Resumo
Introdução

A Apneia Obstrutiva do Sono ocorre por colapso recorrente das vias aéreas superiores durante o sono, resultando em redução total (apneia) ou parcial (hipopneia) do fluxo aéreo, tendo relação estreita com alterações nas vias aéreas superiores. A TC de feixe cônico permite a análise da via aérea superior e seu volume através da reconstrução tridimensional.

Objetivo

Avaliar uma possível correlação entre o volume da via aérea superior e a gravidade da apneia obstrutiva do sono.

Método

Realizou-se um estudo retrospectivo, com revisão de dados polissonográficos e registros de TC de feixe cônico de 29 pacientes (13 do sexo masculino e 16 do sexo feminino). A correlação entre o volume total da nasofaringe, a orofaringe e a faringe superior com o IAH (Índice de Apneia-Hipopneia) foi avaliada pelo coeficiente de correlação de Pearson.

Resultados

A divisão por gravidade da Apneia Obstrutiva do Sono foi: dez pacientes apresentaram apneia na forma severa, 7 apresentaram apneia moderada, 6 tinham a forma leve e 6 estavam saudáveis. A correlação entre a nasofaringe, a orofaringe e os volumes da faringe superior e o Índice de Apneia-Hipopneia foram respectivamente: -0,415 (p=0,025), 0,186 (p=0,334) e -0329 (p=0,089). A classificação de Spearman controlada pelo Índice de Massa Corporal, idade e sexo foi: -0,206 (p=0,304), -0,155 (p=0,439) e 0,242 (p=0,284).

Conclusão

Não há correlação entre o volume da via aérea e a apneia obstrutiva do sono, avaliada pelo índice de apneia-hipopneia e controlada pelo índice de massa corporal, idade e sexo. O volume das vias aéreas superiores como parâmetro isolado não se correlacionou com a gravidade da síndrome da apneia obstrutiva do sono, e deve ser avaliado em conjunto com outros fatores.

Abstract
Introduction

Obstructive sleep apnea occurs by recurrent collapse of the upper airway during sleep, resulting in total (apnea) or partial (hypopnea) reduction of the airflow and has intimate relation with changes in the upper airway. Cone Beam CT allows the analysis of the upper airway and its volume by three‐dimensional reconstruction.

Objective

To evaluate a possible correlation between the volume of the upper airway and the severity of the obstructive sleep apnea.

Methods

A retrospective study was performed reviewing polysomnographic data and Cone Beam CT records of 29 patients (13 males and 16 females). The correlation between the volume of the nasopharynx, the oropharynx and the total superior pharynx with the AHI was assessed by Pearson's rank correlation coefficient.

Results

The obstructive sleep apnea severity division was: ten patients had severe, 7 had moderate, 6 had mild and 6 of them were healthy. The correlation between the nasopharynx, the oropharynx and the total superior pharynx volumes and the Apnea‐Hypopnea‐Index was respectively: −0.415 (p=0.025), 0.186 (p=0.334) and −0329 (p=0.089). The Spearman's rank controlled by the Body Mass Index, the age and the gender was: −0.206 (p=0.304), −0.155 (p=0.439) and 0.242 (p=0.284).

Conclusion

There is no correlation between the volume of the airway and the obstructive sleep apnea, assessed by Apnea‐Hypopnea‐Index and controlled by the Body Mass Index, the age and the gender. The volume of the upper airways as an isolated parameter did not correlate to the severity of the obstructive sleep apnea syndrome, and should be evaluated together with other factors.

Keywords
Upper airway, Obstructive sleep apnea, Cone beam CT
Palavras‐chave
Via aérea superior, Apneia obstrutiva do sono, TC de feixe cônico
Braz J Otorhinolaryngol 2018;84:89-94 DOI: 10.1016/j.bjorlp.2017.05.054